Primeiro, vamos falar da NOVA ZELÂNDIA:

Que o ritmo de vida aqui na Nova Zelândia é diferente do Brasil todo mundo já sabe, mas será que isso afeta o trabalho também? A resposta é: sim. Não espere encontrar aqui  o mesmo ritmo frenético que temos aí no Brasil, e se quer saber, isso é uma das coisas que mais gosto aqui na Nova Zelândia. É claro que nem tudo são flores, e em termos de benefícios, estamos muito melhores no Brasil. Aproveitando o feriado do dia do trabalho que ocorre no dia  28 de Outubro aqui na Nova Zelândia, vou contar para vocês um pouco como é trabalhar na Nova Zelândia. 

Como imigrante, claro que teremos experiências muito diferentes do que tivemos no Brasil. É muito comum as pessoas se mudarem para cá e exercerem cargos e profissões que nunca imaginaram fazer no Brasil e isso também influencia em como você percebe o mercado de trabalho. O que temos que ter em mente é que, às vezes, construir uma carreira em um país estrangeiro pode levar algum tempo mesmo que seu inglês seja bom. A curva de melhora profissional está diretamente ligada com a  evolução do seu nível de inglês, mas não se resume apenas a isso. Conheço pessoas que mudaram para cá e já conseguiram grandes cargos e realização profissionais com inglês intermediário e conheço pessoas que são totalmente bilíngues e o emprego dos sonhos ainda não aconteceu. Infelizmente não existe receita mágica. Um dos fatores é que algumas profissões têm uma demanda muito maior que outras ou falta de profissionais qualificados o que significa que as chances serão maiores. Um dos fatores que nos fez escolher a Nova Zelândia era a oportunidade de trabalho na área do meu marido. 

Tipos de contrato

Uma das coisas que acho bem diferente na Nova Zelândia é a diversidade de opções de emprego meio período  o chamado Part time. Não me lembro de ser uma opção muito popular no Brasil. A maior parte das pessoas que trabalham meio período são os estudantes (porque o visto de estudante só permite trabalhar 20 horas por semana) e as mamães ou papais que precisam buscar os filhos na escola (a escola aqui termina às 3:30 pm). Um emprego é considerado part time se você trabalha entre 20 e 30 horas por semana e em um emprego Full time (período integral) trabalha-se 40 horas  por semana. 

O seu contrato pode ser Permanent, Fixed term (com data para terminar), Seasonal ou Casual.  Ultimamente os contratos Casuais são muito populares principalmente para empregos considerados de estudante. O principal motivo é que o empregador pode te chamar apenas quando precisa , não tendo obrigação de garantir horas mínimas por semana.

Os benefícios que me fazem sentir saudades do Brasil

Umas das coisas que me faz sentir saudade do Brasil é o nosso queridinho vale-refeição. Esqueça, aqui isso não é uma realidade. Outra desvantagem sobre  trabalhar na Nova Zelândia é que o horário de almoço é de apenas 30 minutos o que torna muito mais difícil socializar com seus colegas de trabalho na hora do almoço. É muito comum para quem trabalha em escritórios que as pessoas acabam comendo em seus próprios postos de trabalhos ou nos refeitórios – que quase sempre possuem uma geladeira e um micro-ondas. O vale transporte também não é uma realidade e infelizmente em lugares como o centro de Auckland -apesar do trânsito ser ruim mas ok- é muito caro pagar um estacionamento. Por isso algumas empresas oferecem a famosa vaga de estacionamento como sendo um benefício para os funcionários, e sinceramente: é mesmo.

Um benefício bastante popular aqui na Nova Zelândia é o flex hours. Esse benefício permite que você escolha o seu horário de entrada, claro que predeterminados pela empresa- que pode ser das 7AM às 9h30 AM por exemplo e assim podendo escolher o horário de saída. Isso é muito útil pois como citei acima a escola acaba cedo, então um dos pais pode escolher sair mais cedo para buscar os filhos ou quem gosta de dormir mais um pouco pode dormir um pouco mais. Infelizmente, esse benefício só funciona para trabalhos em escritórios, não pense em pedir flex-hours se você trabalha em um restaurante ou loja, seu chefe com certeza não irá gostar. 

Outro aspecto que acho muito positivo aqui na Nova Zelândia é que as empresas são muito compreensivas com as questões familiares. Meu marido já teve que sair do trabalho diversas vezes para buscar nosso filho na escola por ter se machucado ou estar com febre e nunca recebeu qualquer forma de reclamação. Quando você trabalha mais de 6 meses para uma empresa você acumula o sick leave. São 5 dias por ano que você pode não ir trabalhar e assim mesmo receber por estar doente, querer ir ao médico ou ao dentista. 

Pagamentos 

O valor do salário mínimo na Nova Zelândia atualmente é de $17.70NZD a hora. Sim, aqui é  muito mais comum você receber por hora do que por salário mensal. Mesmo que você receba mensalmente, no seu contrato de trabalho o valor que você ganha por hora virá descrito. O mais comum é receber semanalmente, normalmente os pagamentos são feitos às quartas- feira à noite ou na quinta-feira de manhã. O interessante sobre esse tipo de pagamento é que você se habitua a fazer um planejamento semanal de despesas. Na minha casa temos os dois tipos de pagamentos – eu recebo semanalmente e meu marido recebe mensalmente.  Isso nos faz ter que fazer dois planejamentos: o semanal e o mensal e o resto fica por conta do cartão de crédito, rs. 

IRD

Para trabalhar na Nova Zelândia você  vai precisar de coragem, um visto de trabalho e de um número de IRD. O IRD é a identificação que permite o governo recolher os impostos sobre os seu salário. Se compararmos com o Brasil, trataria-se de um número de CPF. 

Conclusão

Trabalhar na Nova Zelândia é desafiador, pois a questão do idioma torna tudo um pouco mais complexo e muitas vezes trabalhamos em coisas diferentes do que fazíamos no Brasil. Em contrapartida, o ambiente de trabalho é muito mais descontraído por isso não espere também que os serviços sejam rápidos como no Brasil. Mas pense pelo lado bom: você terá tempo o suficiente para aproveitar a vida  e sua família pois aqui eles realmente vêem o trabalho como algo complementar e não se importam muito com status ou que tipo de trabalho você faz. 

Chegou a vez da AUSTRÁLIA:

Fazer um intercâmbio para a Austrália é o sonho de muita gente, afinal, você estará em um país de clima tropical, desenvolvido, com uma qualidade de vida boa e ainda tem o direito de trabalhar, afinal, são poucos os países no mundo que permitem que brasileiro possa trabalhar com visto de estudante.

Mas aí bate uma insegurança, não é? Afinal, a maioria nunca trabalhou fora do Brasil e muitos ainda não tem uma segurança no inglês muito grande. Mas fique calmo, isso é totalmente possível! Vamos explicar aqui nesse post tudo que você precisa saber.

Para trabalhar na Austrália você precisa pelo menos ter o visto de estudante, estar matriculado em um curso de mais de 14 semanas, com uma carga horária full time, que varia entre 20 e 25 horas por dia. Com o visto de estudante você poderá trabalhar até 20 horas semanas ou 40 horas quinzenais (não precisa ser horarios certinhos na semana, contando que não passe de 40 horas quinzenais) e nas férias da escola você tem o benefício de trabalhar o dobro das horas, 80 horas quinzenais, momento em que muitos alunos aproveitam para juntar um dinheiro para renovar o próximo visto ou viajar.

Hospitality

A grande maioria dos estudantes trabalham em hospitality quando chegam na Austrália. Mas o que significa isso? Hospitality é um termo usado para designar trabalhos na área de serviços, como em hotéis, restaurantes, cafés e empresas de limpeza de casa. Então, aí vai uma dica: se você está se preparando para vir para a Austrália, se adiante e já comece a se “adentrar” nesse mundo. Limpeza de hotéis e casas aqui é bem diferente da que estamos acostumadas no Brasil, então comece a se ambientar com palavras e termos como “mop, broom, dusting, vacuuming e dishwasher”. Outra opção é você “pegar umas aulinhas” com algum garçom para te ensinar como carregar três pratos de uma vez, como se dirigir a um cliente e como manter a postura, isso já vai te colocar a frente de muita gente, afinal, muitas dessas profissões nós nunca tivemos contato no brasil.

Início 

Por onde começar? Aqui na Austrália existem alguns sites e aplicativos de busca de emprego que são usados por muitos empregadores. Eles realmente são um meio para se conseguir um emprego, principalmente para quem chega aqui e ainda não tem referências ou indicações. Você pode entrar em sites como: guntree.com.au, seek.com.au e jora.com.au. Outra opção é imprimir varios curriculos na sua escola e sair de porta em porta entregando. Geralmente isso funciona em estabelecimentos menores e restaurantes. Grandes redes varejistas recrutam unicamente através de internet, então separe alguns nomes, entre nos respectivos websites e faça seu cadastro. Todas as vagas disponíveis estão disponíveis para serem aplicadas e também você tem a opção de fazer um perfil, e aí você tem a chance deles te ligarem para uma entrevista.

Entrevistas

E como funciona a entrevista? Lembro da minha primeira entrevista de emprego aqui na Austrália, foi a pior da minha vida, haha. Demorou aproximadamente 40 minutos, a gerente do hotel me fez muitas perguntas (muitas das quais não consegui entender nada). Eu estava nervosa, tremendo, já que meu inglês era muito ruim. Mas deu certo! Trabalhei neste hotel por mais de um ano. 

Quando você for para uma entrevista de emprego prefira vestir tons mais escuros, principalmente se for na área de hospitality (um pretinho nunca falha, não é mesmo?) Seja pontual, seguro e espontâneo (a). Explique que você não tem muita experiência mas que aprende rápido e tem energia para trabalhar sempre que requisitado. Mostre empolgação. Aqui na Austrália, diferente do Brasil, para muitas vagas, vale muito mais a energia do candidato do que o currículo dele.

Currículo

É muito importante que você crie um currículo voltado para a vaga que você está procurando. Se é em restaurante, saliente as suas qualidades que possam somar para a empresa, coloque todas as pequenas ou grandes experiências que você teve em bar, pub ou restaurante. Se você estiver procurando em hotel, lojas em shopping center, supermercado, etc faça do mesmo jeito. Infelizmente as experiências que você teve no Brasil e que não tem a ver com a vaga que está aplicando, não são muito válidas aqui.

Essas foram algumas dicas para você que está chegando na Oceania. Tudo dará certo!. Boa sorte!! 🙂

Olá
Podemos te ajudar!