Sabe aqueles momentos da vida em que tudo tá normal, seguindo conforme esperado, ano após ano… Tá tudo bem… Daí, sem que você tenha tempo de entender direito, algo acontece e tudo muda num piscar de olhos… Acho que todo mundo já passou por isso, né? Algo acontece na vida profissional, pessoal, emocional, enfim… algo acontece, e tudo muda.

Foi em um desses momentos da vida, desses que nos fazem perder o chão que eu decidi aproveitar a sacudida e resgatar um sonho antigo. No meio da turbulência, eu decidi planejar um intercâmbio. Posso dizer que o desafio foi grande porque não sou mais uma adolescente indo terminar a high school nos EUA. Sou casada, com um filho pequeno e no meio de uma carreira profissional que estava indo bem. Mas, uma hora, a gente tem que seguir nosso coração e viver algo que nos motiva, não é verdade?

Pois é, aos 35 anos de idade, embarquei pro outro lado do mundo com meu marido, meu filhinho e tudo o que coube em 6 malas de viagem. Chegamos na Nova Zelândia em novembro de 2017, com um sorriso largo e planos para desacelerar, viver um ano sabático, viajar bastante, passar mais tempo um com o outro e aprender inglês. Pois é, no mês que vem já vai fazer 2 anos que estamos por aqui e se você me perguntar se eu já cansei e quero voltar, vou te dizer: ah… deixa eu ficar mais um pouquinho…. hehe.

É claro que, assim como em qualquer nova experiência, nem tudo sai como combinado, nem tudo é fácil de passar. Tem dias difíceis sim e passar por eles longe dos meus pais, meus amigos de longa data, não é fácil. Mas posso dizer que tem sido incrível! Essa é uma experiência pela qual não dá pra passar sem se reinventar, sem se questionar... Não dá pra voltar a ser o que era antes, simples assim.

Não é só sobre viver um tempo em outro lugar, é sobre aprender uma nova cultura, uma nova língua, um novo estilo de vida. É sobre fazer novos amigos e ter que reinventar seu modo de se expressar (como é difícil ser eu mesma falando em inglês… aff) rever sua relação com o dinheiro, com o trabalho, com a distância.

Mas, se posso te dar um conselho: siga seus instintos, siga seus sonhos e não espere o momento perfeito chegar porque ele pode ser tipo o “príncipe no cavalo branco”, sabe? E se você decidir fazer um intercâmbio também, não tenha vergonha de tentar se comunicar, não tenha tanto medo de errar, tente deixar pra trás os seus preconceitos e padrões.

Divirta-se! E esteja preparado para momentos que serão, sem dúvida, inesquecíveis!

Boa sorte!

-Adeline Jeronimo

Olá
Podemos te ajudar!