Muitos acreditam que ter um seguro de viagem e saúde não é um item de importância na organização de uma viagem ao exterior, partindo do princípio de que nada irá acontecer e que o plano é apenas mais um custo. Dão desculpas a si mesmos do tipo “vou ficar pouco tempo”, “fiz um check up e estou super bem”, “nunca precisei no meu país, por que vou precisar agora?”, dentre outras tantas, para justificar e não se preocupar com essa parte.

É compreensível que a última coisa que passa pela cabeça de uma pessoa que está se preparando para uma viagem é a possibilidade de algum imprevisto acontecer, mas eles acontecem! Um seguro pode ser um aliado e uma salvação em situações inconvenientes.

Quando não somos residentes ou cidadãos de um país, não temos direito a utilizar a saúde pública e uma simples gripe, que precise de atenção médica, pode sair bem mais caro do que adquirir um seguro. Infelizmente, já vimos desde casos simples até casos sérios, que acabaram deixando pessoas com dívida grande, e fazendo com que o sonho da viagem se tornasse em pesadelo.

Aqui na Nova Zelândia, o seguro é obrigatório para algumas categorias, como estudantes e aprovados no Working Holiday Visa, por exemplo, mas é extremamente recomendado para quem vem visitar o país também.

O seguro viagem oferece cobertura de despesas com saúde, proteção para riscos e para bens incluídos anteriormente na cobertura, além de assistência em caso de perda e roubo de bagagem, perda de conexão por atraso de voo e serviços de concierge.

Importante lembrar que um seguro de viagem e saúde apenas cobre as questões médicas ocorridas durante a viagem. Caso se tenha uma doença pré-existente haverá o reembolso das despesas médicas em casos específicos autorizados pela seguradora no ato da contratação do seguro.

É sempre importante se atentar para a data de início da cobertura que deve iniciar-se na data da sua partida para que você esteja coberto durante o trajeto também.

Caso a viagem seja com outros membros da família, certifique-se de que a seguradora cubra a todos, assim você poderá ficar mais tranquilo quanto a possíveis despesas médicas e outros imprevistos. Existem algumas seguradoras e planos, nos quais é possível agregar membros da família em uma mesma apólice, fazendo com que você consiga cuidar do bem-estar da sua família e ainda economizar.

Na Nova Zelândia, a maioria dos seguros funciona por sistema de reembolso, ou seja, você vai ao médico, paga o valor total, solicita o recibo e a seguir envia o recibo para a seguradora, via correio ou online, junto com um formulário solicitando o reembolso que é feito direto na sua conta dentro de alguns dias. Todo documento envolvido ao seu atendimento médico, como prescrições de medicamento, exames, todos os recibos dos serviços feitos e as anotações que o médico fez durante a consulta irão ajudar e facilitar o processamento do pedido de reembolso.

É importante notar que alguns tipos de seguro possuem uma espécie de franquia para uso, ou seja, um valor a pagar caso precise acionar o seguro.

Quando contratar uma seguradora verifique se a mesma é amplamente aceita no país onde será utilizada. Uma seguradora no destino, se de confiança, pode fazer a diferença, visto que qualquer problema que você tenha poderá ser resolvido onde você está, no mesmo horário e sem tanta burocracia. Analise também a cobertura, algumas são mais abrangentes que outras e a diferença financeira pequena.

Entender como o seguro funciona pode evitar dores de cabeça. Deste modo, é fundamental que estude cuidadosamente todas as características do seguro, compare serviços de diferentes empresas e procure uma seguradora de boa reputação. Observe o custo-benefício, a cobertura, assistência oferecidas, casos de emergências e todos os detalhes da apólice.

Caso tenha alguma dúvida entre em contato com seu agente para esclarecimentos e não adquira o produto se não estiver seguro.

Venha com a Yep! 🙂